28.8.15

Campo



                                                            @Jeffrey T Larson
Os dias escoam-se tão lentamente como quando eu esperava pelo amanhã que nunca mais chegava e olhava para a ampulheta para ter a certeza que o tempo realmente passava.
Não há vento, o ar está calmo, parado e o calor convida a gestos parcos, lentos, lânguidos. A voz arrasta-se e baixa-se em conformidade com o som que não se ouve. Ao longe um cão ladra e sei que ao fim da tarde, pássaros irão desassossegar o lugar.
Não há enoturismo, nem turismo rural ou de habitação, também não há, felizmente, restaurantes com estrelas michelin ou gourmets, não há listas com explicações que nunca mais acabam, nem há espumas e coisas do género, no entanto, tomara muitos chefes cozinharem tão bem como a Ti Rosa.
Aqui, tudo é puro e duro, tão puro e tão duro. O que parece é. As couves são couves, as batatas são apenas batatas, os tomates são divinos, apanhados só quando já estão maduros. O cabrito é apenas cabrito assado e o pato com laranja nada mais é do pato assado com laranja, ah, mas o pato é caseiro, como também o é o queijo fresco de cabra que como ao pequeno-almoço.
À noitinha, na rua com os vizinhos, a conversa não acaba.

10 comments:

Observador said...

É tão bom viver no campo.
Bom fim de semana.

inconfessável said...

É tão bom passar uns dias no campo que se conhece desde sempre.
Bom fim de semana, Observador.

esperto que nem um alho said...

O título podia ser:

Crónicas do tempo da minha avó. :-)

inconfessável said...

Não, não, esperto que nem um alho, esta é do meu tempo, deste ano. :)

mfc said...

Hummm... como gostava de conhecer os petiscos da Ti Rosa!
E o teu texto de certeza que não lhes fica atrás.
Beijos.

inconfessável said...

Estou na engorda, mfc.
Obrigada pelo elogio.
Bom fim de semana

© Piedade Araújo Sol said...

isso deve ser o paraíso e sem stress.
bom domingo.
boa semana
beijo
:)

inconfessável said...

Bom Domingo, Piedade
É um carregar de baterias para os dias que se aproximam
beijo e boa semana, também para ti

Silenciosamente ouvindo... said...

Pois eu adorava estar num sítio assim,
alimentar-me de coisas naturais...tenho mesmo
muitas saudades da alimentação dos meus
tempos de miúda.
Abraço amigo, para o meu amigo "inconfessável".
Irene Alves

inconfessável said...

É exactamente isso, Irene: o tempo de crianças e é tão bom.